Paciente oncológico e coronavírus

Atualizado: Mai 28

Reunimos algumas perguntas frequentes, recebidas através de nossas redes sociais, e convidamos a Dra. Silvia Regina Graziani, chefe do serviço de Oncologia Clínica do ICAVC, para responder os questionamentos.


O que é o coronavírus?

É uma virose que infelizmente virou uma pandemia, uma epidemia em nível mundial. E como todos os vírus, é de difícil controle. Ele tem predileção pelo sistema respiratório e é por isso que tem causado uma preocupação imensa nos gestores de saúde no mundo todo. É um vírus que não temos controle, pois a transmissão é por via respiratória e a única forma de se precaver é com o isolamento social, sem contato, já que é passado através das gotículas de saliva e dessa forma não tem controle de contaminação.


Quem já terminou o tratamento ainda é grupo de risco?

Todos nós somos grupos de risco, o paciente que já terminou o tratamento, quem está em tratamento, os profissionais da saúde, nossos familiares, pessoas que temos contato... todos somos grupos de risco. Porém os estudos epidemiológicos mostram que algumas pessoas apresentam um risco maior. Desta forma, as pessoas que tem um risco de evoluir mais negativamente, decorrente de outras doenças, como por exemplo diabete, mal de chagas ou cardiopatias, doenças pulmonares e em pacientes oncológicos o risco é relativamente alto.


Pacientes que fizeram cirurgia e ainda não iniciaram a quimioterapia também são considerados do grupo de risco. Nós aqui do ICAVC trabalhamos em equipe multidisciplinar e os pacientes que tem uma necessidade maior de iniciar a quimioterapia estão sendo atendidos com prioridade, e quem pode aguardar um controle da epidemia, estamos orientando para aguardar.


Pacientes em quimioterapia e imunoterapia precisam de quais cuidados?

Os cuidados são os mesmos da população geral. Não deve se automedicar, se tiver algum sintoma deve procurar uma orientação em uma Unidade Básica de Saúde, como toda a população. Não deve se expor a grandes aglomerações e se tiver febre deve procurar uma unidade hospitalar.


Quais as recomendações para quando precisar comparecer a uma consulta?

Aqui recomendamos principalmente que não pare a quimioterapia. Ela não pode parar. Esses pacientes estão tendo atenção em um sistema que elaboramos especialmente para este momento onde não há uma espera maior que 15 minutos. Os pacientes em acompanhamento devem aguardar que em breve serão reagendados. Quem precisa retirar a medicação está também sob sistema especial com o auxílio do Serviço Social e Farmácia, disponibilizando as receitas e medicamentos com menos tempo de espera.

Sou paciente e estou com sintomas de gripe. Devo comparecer ao hospital para consulta?

Se for sintomas de resfriado, só com coriza e sem febre, pode comparecer normalmente mas deve informar na triagem, na recepção do hospital os seus sintomas para que sua temperatura seja verificada e tomar as providências. Se você teve febre, você não deve comparecer à consulta. Você deve procurar um hospital especializado. Hoje não atendemos estes casos e os casos suspeitos estão sendo transferidos para hospitais de referência. Fique atento ao pico febril de 38ºC ou dois picos febris de 37.5ºC consecutivos.


O que um familiar de um paciente em tratamento de câncer deve fazer durante a pandemia?

O familiar, o paciente, todas as pessoas devem fazer o isolamento social. Infelizmente é a única situação que consegue controlar o contagio entre as pessoas e a disseminação do vírus. Nós, profissionais da saúde por exemplo, estamos saindo de casa apenas para as atividades laborais, interrompendo todas as outras atividades, de acordo com a recomendação do Ministério da Saúde. Todos devem cumprir a quarentena e o isolamento social.



Em breve lançaremos um vídeo sobre o assunto. Cuide-se, cuide de quem você ama, fique em casa!


Tem perguntas? Envie para o ICAVC! Continue acompanhando nossas redes sociais e site para informações atualizadas!

Copyright © 2020 Instituto do Câncer Doutor Arnaldo Vieira de Carvalho